Novos estatutos consagram "perspetiva científica do desenvolvimento"

Um dos conceitos mais citados durante a Era Hu Jintao, "perspectiva científica do desenvolvimento", tornou-se hoje um dos "princípios orientadores" do Partido Comunista Chinês, ao lado do marxismo-leninismo, do pensamento Mao Zedong e da teoria de Deng Xiaoping.

O conceito, que pretende promover um modelo de desenvolvimento mais sustentado e ecológico, passou a fazer parte dos estatutos do PCC, conforme a proposta aprovada por unanimidade na sessao de encerramento do 18º Congresso do partido.

Ao longo das últimas três décadas, o Produto Interno Bruto chinês cresceu em média cerca de 10 por cento ao ano, num "milagre económico" sem precedentes no mundo, mas os custos ambientais foram tambem muito elevados.

No relatório de 46 páginas apresentado por Hu Jintao ao congresso, a expressão "perspetiva científica do desenvolvimento" é uma das mais citadas, a seguir a "socialismo com caraterísticas chinesas".

Contudo, o nome de Hu Jintao não é explicitamente mencionado, como acontece com "a importante teoria das três representações", associada ao seu antecessor, Jiang Zemin.

É aquela "teoria", consagrada há dez anos nos estatutos do PCC, que legitima a abertura do partido aos empresários privados.

Na sessão de encerramento do 18º Congresso, hoje de manhã (hora local) os cerca de 2.300 delegados e convidados especiais aprovaram tambem o relatorio de Hu Jintao e elegeram por voto secreto o novo Comité Central e a nova Comissao Central de Inspeçao e Disciplina.

A composição do novo Comité Permanente do Politburo, a cupula do poder, só será anunciada na quinta-feira.

Xi Jinping, atual vice-presidente, deverá substituir Hu Jintao na chefia do partido, iniciando a ascensão ao topp de uma nova geraçao de líderes.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG