Nova fuga de água radioativa detetada em Fukushima

A Tokyo Eletric Power (TEPCO), operadora da central nuclear japonesa de Fukushima, detetou uma nova fuga de água radioativa de um dos tanques de armazenamento e disse que parte do líquido pode ter ido para o mar.

A operadora não especificou a quantidade de água vertida, mas detetou que contém uma concentração de substâncias radioativas de 200.000 becquereés por litro, o que ultrapassa em muito o limite legal de 30 becqueréis por litro.

A TEPCO reconheceu que a água contaminada pode ter chegado ao mar e, em conferência de imprensa, um dos porta-vozes da companhia pediu desculpas "pela preocupação", refere um despacho da agência japonesa Kyodo.

Na última vez que a TEPCO admitiu que água contaminada tinha chegado ao mar, estimou em 300 toneladas de água contaminada derramada no oceano e com um nível de contaminação de 80 milhões de becqueréis por litro.

Do total de cerca de mil contentores que a TEPCO tem na central para armazenar água contaminada durante o processo de arrefecimento dos reatores nucleares, 350 são deste modelo que tem apresentado problemas e que foram construídos de forma mais rápida e económica, utilizando resina na união das juntas em vez destas serem soldadas.

Além do problema de fuga de água dos tanques, a TEPCO estima que cerca de 300 toneladas de água radioativa chegue diariamente ao oceano devido à sua acumulação no subsolo da central onde estão localizados os reatores nucleares.

A TEPCO já colocou em funcionamento um sistema de reciclagem da água que retira a maior parte das substâncias químicas e espera que o tratamento contribua para retirar do complexo os depósitos de água a médio prazo já que este foi desenhado para limpar mais água do que a que acumula.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG