Nível recorde de radioatividade detetado em peixes

Um nível recorde de radioatividade foi detetado em peixes ao largo das costas japonesas perto da central nuclear de Fukushima (nordeste), danificada por um tsunami em 11 de março de 2011, indicou hoje a operadora Tokyo Electric Power Co. (TEPCO).

Tamboris capturados em 1 de agosto, a 20 quilómetros de distância da central nuclear e posteriormente submetidos a testes científicos, indicaram um nível de 25.800 becquerel de césio por quilo, um nível 258 vezes mais elevado que o limite fixado pelo governo na alimentação, anunciou a TEPCO.

O anterior recorde de radioatividade, 18.700 becquerel de césio por quilo, tinha sido registado durante os testes realizados em salmões capturados ao largo de Fukushima, precisou a Agência Nacional das Pescas japonesa.

A TEPCO considera que os tamboris se alimentaram nas zonas mais radioativas e que nas próximas semanas vai ser necessário analisar sistematicamente todos os peixes e o seu meio para determinar os motivos deste nível de radioatividade.

Desde junho que os pescadores são autorizados a capturar, de forma experimental, diversas espécies de peixes e medusas, mas apenas em zonas situadas a mais de 50 quilómetros da central nuclear. As análises efetuadas revelaram níveis muito baixos de radioatividade.

Na semana passada, investigadores japoneses anunciaram que as suas pesquisas indicam que as borboletas que se mantêm nos arredores da central de Fukushima estão a registar mutações relacionadas com a radioatividade.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG