Mais de 600 chineses em fuga de protestos anti-China

Mais de 600 empresários e turistas chineses atravessaram a fronteira do Vietname com o Camboja para escapar aos tumultos anti-China no Vietname, disse hoje o porta-voz da Polícia Nacional do Camboja, Kirt Chantharith.

Só na quarta-feira, mais de 600 chineses entraram no Camboja através da fronteira internacional Bavet na província de Svay Rieng", disse à agência oficial chinesa Xinhua, acrescentando que "os números não incluem os que viajaram de avião".

"Eles só ficarão no Camboja por um pouco, quando a situação no Vietname aliviar, talvez regressem", afirmou o mesmo responsável.

Segundo dados divulgados hoje pela polícia vietnamita, citados pelas agências internacionais, um trabalhador, de nacionalidade chinesa, de uma fábrica de siderúrgica de Taiwan, foi morto durante os tumultos.

As tensões entre a China e o Vietname -- dois vizinhos comunistas, mas históricos rivais -- agudizaram-se depois de Pequim ter anunciado a instalação de uma plataforma petrolífera em águas territoriais de ilhas disputadas por ambos, com milhares de vietnamitas a saírem para as ruas protagonizando protestos em massa nas principais cidades do país.

Na semana passada, Pequim moveu uma sonda de perfuração de águas profundas pela primeira vez perto da ilha de Paracel, num gesto contestado por Hanoi e qualificado de "ilegal".

A escalada da tensão levou mesmo a ONU a pedir moderação aos dois países.

A China e o Vietname mantêm uma antiga disputa territorial no Mar do Sul da China por causa da soberania das ilhas Paracel e Spratly, alegadamente ricas em petróleo.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG