Jovem paquistanesa recebe tratamento na Grã-Bretanha

A jovem paquistanesa Malala Yousufzai, gravemente ferida pelos talibãs do seu país por ter defendido o direito à educação das raparigas, foi transferida para a Grã-Bretanha onde irá receber tratamento especializado. A deslocação só foi anunciada após a partida do avião por receio de novos ataques dos radicais islamitas.

"O Paquistão organizou, em conjunto com os Emiratos Árabes Unidos, o transporte de Malala Yousufzai num avião medicalizado para a Grã-Bretanha", anunciaram as forças armadas paquistanesas, sem indicar a localização da unidade hospital onde a jovem será tratada.

O ministro do Interior, Rehman Malik, explicou que a viagem de Malala, de 14 anos, não foi anunciada por razões de segurança, pois os talibãs "tinham ameaçado" a vida da jovem com "novos ataques".

Malala foi atacada a tiro na passada terça-feira na cidade de Mingora, no vale do Swat, no noroeste do Paquistão, quando dois homens fizeram parar o autocarro escolar em que a adolescente seguia com outros estudantes e o seu pai, professor naquela cidade e ele próprio, segundo as agências, um conhecido adversário dos islamitas.

O ataque foi reivindicado pelo Movimento dos Talibãs do Paquistão, que a tomaram como alvo por defender o direito das raparigas à educação e pelas críticas que lhes faz.

A jovem foi a primeira distinguida com o prémio nacional para a paz criado em 2011 no Paquistão, por ter denunciado num blogue da BBC, quando tinha apenas 11 anos, as violências dos talibãs no vale do Swat entre 2007 e 2009.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG