Um dinamarquês participa nas crucificações nas Filipinas

Como acontece todas as Sextas-Feiras Santas nas Filipinas uma multidão junta-se para ver alguns homens reviverem as últimas horas de Cristo, crucificado. Este ano um dinamarquês de 48 anos participou nesta tradição, condenada pela Igreja do país.

Estes rituais decorrem todos os anos no arquipélago asiático, bastião do catolicismo, herdado da colonização espanhola, naquele continente.

Além dos fiéis, a reconstituição das últimas horas de Cristo na Cruz atraem milhares de turistas.

Este ano, a participação de um dinamarquês de 48 anos, identificado como Lasse Spang Olsen, surpreendeu os filipinos, uma vez que os estrangeiros não estão autorizados a crucificarem-se, após uma série de incidentes.

Olsen, com uma pequena câmara colocada no corpo, teve as mãos e os pés pregados, antes de passar dez minutos na Cruz. No final, não quis falar aos media, mas alguns dos presentes tê-lo-ão ouvido descrever uma "experiência formidável". Além de Olsen, oito filipinos foram também crucificados em San Fernando, a 90 minutos de carro da capital Manila.

Ler mais

Exclusivos