Homem imolou-se em protesto contra política chinesa

Um tibetano morreu depois de se imolar terça-feira na China como forma de protesto à "política chinesa", revelou a imprensa internacional e grupos de Direitos Humanos.

Thinleu Namgyalo, de 32 anos, morreu pouco depois de se ter autoimolado no distrito de Kardze, na província de Sichuan, de acordo com os representantes oficiais do grupo "Free Tibet" e Radio Free Asia (RFA).

Namgyalo, o filho mais novo de uma família de agricultores, imolou-se "em protesto contra a política chinesa", sublinhou o grupo RFA citando um morador local.

Segundo as contas do grupo "Free Tibet", pelo menos 125 tibetanos imolaram-se em território chinês desde 2009.

Eleanor Byrne-Rosengren, diretor do grupo, disse em comunicado, que as autoimolações acontecem porque a China "continua a usar a força como meio para travar o acesso aos direitos humanos básicos".

Pequim acusa o Dalai Lama, o líder espiritual tibetano, de encorajar este tipo de ações como forma de promoção do separatismo, defendendo também que o Governo chinês trouxe benefícios sociais e económicos para os tibetanos.

Grupos de defesa dos direitos humanos afirmam que os protestos são uma reação a um controlo rígido de Pequim sobre os direitos dos tibetanos, incluindo o exercício da religião.

Ler mais

Exclusivos