Ex-líder da seita "14K" é libertado sábado em Macau

O ex-líder da seita de Macau "14K" Wan Kuok Koi, conhecido pela alcunha de "Dente Partido", vai ser libertado no sábado depois de mais de 14 anos de cadeia com as autoridades atentas aos seus movimentos.

"De acordo com o estipulado na lei, temos de libertar Wan Kuok Koi no sábado antes das 12.00" (04.00 em Lisboa), disse à agência Lusa uma porta-voz do Estabelecimento Prisional de Macau.

O secretário para a Segurança, Cheong Kuok Va, afirmou no início deste mês que as autoridades vão reforçar o policiamento nos espaços de jogo", tendo em vista a libertação de Wan Kuok Koi, também conhecido como Pan Nga Koi.

"As autoridades policiais têm feito muito [quanto ao combate à criminalidade organizada] para prevenir [incidentes]. Também vamos reforçar o policiamento junto dos espaços de jogo, porque eles [membros de seitas] 'vivem' junto dos casinos para obter receitas. Além disso, há ainda as ações de repressão. Sempre que haja algum caso de flagrante delito, a polícia vai efetuar a detenção", disse.

Em setembro, o jornal 'Macau Daily Times' citava uma fonte próxima da tutela da Segurança, segundo a qual as autoridades policiais estavam a criar um grupo especial para vigiar de perto "Dente Partido" depois da sua libertação.

Recentemente o diretor da Polícia Judiciária (PJ), Wong Sio Chak, afirmou, segundo a edição de hoje do jornal Ponto Final, que "esta 'task force' tem estado a seguir os movimentos dos indivíduos próximos de Pan Nga Koi".

Uma porta-voz da Polícia Judiciária salientou apenas, em declarações à Lusa, que "se houver algum problema de segurança, de crime, a PJ está bem capacitada para responder".

Em conferência de imprensa no sábado, o porta-voz da mesma polícia, Wong Chi Hong, citado pelo canal português da Teledifusão de Macau (TDM), disse, acerca da libertação de Pan Nga Koi, que "todos os departamentos da PJ vão desempenhar os seus deveres a tempo inteiro".

"Combatemos severamente todo o tipo de crime e atividades ilícitas que afetem a ordem social e prejudiquem a segurança pública", acrescentou.

Pan Nga Koi, de 57 anos e com cidadania portuguesa, está detido até sábado no bloco de alta segurança da prisão na ilha de Coloane.

"Dente Partido" foi detido 01 de maio de 1998, aos 43 anos, a menos de dois anos de a administração de Macau ser devolvida por Portugal à China, num restaurante do Hotel Lisboa, depois da explosão de uma bomba no carro do então diretor da Polícia Judiciária António Marques Baptista e sob a suspeita de pertencer a uma associação criminosa e homicídio na forma tentada.

Os dias seguintes foram marcados por vários atentados e, a 23 de novembro de 1999, Wan Kuok Koi foi condenado num polémico julgamento, que durou menos de dois meses, a 15 anos de prisão - pena depois atenuada para 13 anos e 10 meses - por pertencer e liderar uma seita, entre outros crimes.

A acusação de homicídio na forma tentada, uma das motivações da sua detenção, não constava da acusação.

Este foi o caso judicial mais mediático do período de administração portuguesa de Macau (terminado a 20 de dezembro de 1999), que nos últimos dois anos ficou marcado pela violência por disputas entre tríades.

Ler mais

Exclusivos