Guru indigna ao dizer que jovem podia ter evitado violação

Um guru espiritual indiano provocou hoje uma onda de indignação por ter assegurado que a estudante de 23 anos, que morreu na sequência de uma violação coletiva, podia ter evitado a agressão se tivesse implorado clemência aos assaltantes.

Apresentando-se como "o homem-Deus Asharam", mais conhecido pelos seus seguidores como "Bapu" (pai), o guru considerou num vídeo que as responsabilidades da violenta agressão no autocarro a 16 de dezembro em Nova Deli não podiam ser exclusivamente dos autores.

"Esta tragédia não teria ocorrido se ela (a vítima) tivesse cantado em nome de Deus e caído aos pés dos assaltantes", referiu o guru num vídeo que circulou na Internet.

O homem de 71 anos atraiu rapidamente as críticas de políticos e dos media. A natureza particularmente ignóbil da agressão chocou profundamente o país e suscitou manifestações contra as violências, endémicas na Índia, praticadas contra as mulheres.

Um porta-voz do partido nacionalista hindu, o Bharatiya Janata Party (BJP), Ravi Shankar Prasad, considerou as declarações "profundamente perturbantes e dolorosas".

O jornal diário The Hindu evocou "a honra quando um homem religioso desce tão baixo".

Seis homens foram detidos depois da violação coletiva, dos quais cinco maiores de idade, com idades entre 19 e 35 anos, que são acusados de violação e assassínio.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG