Governo acusado de reagir tarde a naufrágio com ilegais

A Organização Não Governamental 'Action Coalition' acusa o governo australiano de ter reagido tarde ao naufrágio de um barco com imigrantes no qual morreram, pelo menos, 13 pessoas e dezenas de outras estão desaparecidas.

A embarcação, em que viajavam cerca de 55 pessoas, entre elas mulheres e crianças, foi avistada quarta-feira na costa da ilha australiana de Christmas, revela hoje a imprensa local. As autoridades marítimas cancelaram domingo as operações de busca por sobreviventes da embarcação, depois de terem sido perdidas as esperanças de encontrar pessoas vivas após tantos dias no mar.

O porta-voz da organização, Ian Rintoul, disse que os serviços marítimos australianos deveriam ter iniciado uma operação de resgate na quarta-feira quando o barco não chegou à ilha de Christmas como estava previsto. Uma embarcação da marinha australiana foi enviada quinta-feira para intercetar a embarcação mas regressou ao cais sem ter localizado o barco.

Um dia depois foi emitido um alerta e iniciaram novas operações de busca depois de partes no barco terem sido avistados a 40 milhas náuticas da ilha de Christmas. Pelo menos 13 cadáveres foram localizados pela aviação australiana entre sexta-feira e domingo, mas nenhum foi recuperado até hoje.

A ilha de Christmas, devido à sua proximidade da costa indonésia de Java, é um dos pontos mais utilizados pelos traficantes que conduzem imigrantes à Austrália. Uma das práticas dos traficantes é zarparem de Java e provocarem o naufrágio junto à costa de Christmas, pedindo socorro às autoridades australianas, manobra que permite não serem intercetados pelas autoridades marítimas que os obrigam a mudar de rumo. Milhares de imigrantes tentam, anualmente, chegar à Austrália viajando em embarcações sem condições, com excesso de passageiros e sujeitas a naufrágios

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG