Familiares de passageiros protestam frente a embaixada

Familiares das vítimas chinesas do avião da Malaysia Airlines que se despenhou no Oceano Índico protestaram hoje em frente da embaixada da Malásia em Pequim.

Com 239 passageiros a bordo do avião, 153 dos quais chineses, os familiares acusam a Malásia de ser "assassina" e continuam desconfiados que a verdade não está a ser revelada na totalidade.

"Exigimos o regresso dos nossos" ou "Eu não posso imaginar viver sem ti" eram frases que podiam ler-se em t-shirts que os manifestantes vestiam, o que deixa também perceber que o protesto terá sido preparado e não foi espontâneo como se quis fazer crer.

A polícia chinesa colocou cerca de 30 efetivos junto às instalações da embaixada da Malásia e fechou o trânsito na rua da representação diplomática, impedindo as pessoas de se aproximarem.

O protesto partiu do hotel onde há cerca de duas semanas estão alojados familiares dos passageiros chineses do voo da companhia malaia e que tem sido o centro das reuniões mantidas entre esses familiares e os responsáveis da Malaysia Airlines.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG