Estudante tailandesa acusada de lesa majestade

Uma estudante tailandesa foi denunciada por um delito de 'lesa majestade' depois de liderar uma campanha contra o uniforme universitário, revelou a imprensa local.

Uma estudante tailandesa foi denunciada por um delito de 'lesa majestade' depois de liderar uma campanha contra o uniforme universitário, revelou a imprensa local.

Saran Chuchai, de 20 anos, aluna transsexual da faculdade de Arte da Universidade de Thammasat, colocou a 05 de setembro no campus da universidade vários cartazes onde se podiam ver estudantes de uniforme a manterem relações heterossexuais e homossexuais.

A diretora de um programa de televisão, Phornthipa Supatnukul, apresentou uma denúncia contra a aluna ao sentir-se molestada pelo seu comportamento, noticiou o diário "Bangkok Post".

A denunciante juntou como prova do delito da estudante entrevistas realizadas há cerca de dois meses pelo seu programa a alunos universitários abordando temas políticos e de economia e nas quais Saran Chuchai, alegadamente criticou a monarquia.

Nas provas à denúncia foram ainda apensas várias mensagens que a estudante publicou na sua conta do Facebook.

Centenas de tailandeses e alguns estrangeiros já foram formalmente acusados do delito de 'lesa majestade' nos últimos anos na Tailândia, enquanto que na década de 1990 apenas foram denunciados e acusados uma dezena de pessoas.

O Fórum de Presos Políticos da Tailândia estima em cerca de 300 as pessoas que estão presas por terem sido consideradas culpadas de "difamar, ofender ou ameaçar o rei, rainha ou o herdeiro do trono" tailandês.

A Lei de 'lesa majestade' prevê penas até 15 anos de cadeia para as pessoas declaradas culpadas de a infringir.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG