Dedicatória de Elton John irrita autoridades chinesas

As autoridades chinesas poderão diminuir o número de músicos estrangeiros no país depois de, no fim do concerto, Elton John ter dedicado as suas canções ao artista e ativista dissidente Ai Weiwei.

Após o concerto de novembro passado, em Pequim, a polícia chinesa pediu para falar com o cantor britânico, exigindo-lhe que confirmasse que a dedicatória "ao espírito e ao talento de Weiwei", fosse uma "demonstração de apreço pela sua arte" e nada mais, conta o jornal 'The Guardian'.

Ai Weiwei e Elton John tinham-se reunido pouco antes do concerto e os registos do seu encontro foram anunciados aos fãs no Twitter. "Eu adoro-o", disse Weiwei.

Segundo o jornal britânico, o músico britânico foi autorizado a realizar o concerto, mas nos dias seguintes foi muito criticado pelo jornal chinês 'Global Times', que o acusou de ser "desrespeitoso" por "acrescentar conteúdo político ao concerto".

"O comportamento de John vai fazer com que as agências hesitem nos próximos convites a artistas estrangeiros. Ele veio dificultar as futuras trocas culturais entre a China e os outros países", escreveu a publicação chinesa no seu editorial.

As observações do cantor levaram, ainda, a que o ministro da Cultura, Cai Wu, exigisse que apenas artistas com cursos superiores fossem autorizados a tocar no futuro, apurou o 'The Guardian'. Porém, quando contatado pelo jornal, o porta-voz do ministro veio dizer que "não sabia de que estavam a falar" e que ainda "não haviam quaisquer medidas tomadas".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG