Austrália arrisca 'shutdown' idêntico ao dos EUA

O chefe do Tesouro australiano, Joe Hockey, alertou hoje que a Austrália arrisca vir a sofrer uma paralisação forçada da sua Administração, como os Estados Unidos este outono, se a oposição trabalhista recusar elevar o teto da dívida.

O teto da dívida é de 300 milhões de dólares australianos (208 milhões de euros) e será atingido a 12 de dezembro, segundo o responsável pelo Tesouro do novo governo conservador.

A Câmara de Representantes votou uma elevação desse limite na noite de quarta-feira, mas ela foi bloqueada no Senado. Os trabalhistas e os verdes defendem uma elevação do teto da dívida apenas para 400 milhões de dólares australianos, um valor considerado insuficiente pelo Governo de Tony Abbott.

"Se os trabalhistas querem impedir um aumento do limite da dívida, não haverá outra escolha a não ser grandes cortes nas despesas do Governo, porque trabalha com dinheiro emprestado. É o que herdámos", declarou o chefe do Tesouro à ABC.

Os conservadores venceram as eleições em setembro, sucedendo a um Governo trabalhista.

Para Joe Hockey, "o partido trabalhista está a jogar na roleta russa".

"Não vamos passar um cheque em branco", afirmou o porta-voz da oposição, Chris Bowen, recordando que o partido de Tony Abbott fez campanha para reduzir a dívida.

Durante os 16 dias de 'shutdown' nos Estados Unidos, entre 01 e 17 de outubro, os serviços administrativos norte-americanos estiveram parcialmente encerrados depois do braço de ferro entre a Administração de Obama e o Congresso sobre o orçamento e a elevação do teto da dívida.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG