Acusação pede quatro anos de prisão para filho do dono

O filho mais velho do magnata sul-coreano Yoo Byung-Eun, responsabilizado pelo desastre do ferry 'Sewol', foi hoje presente a tribunal, acusado de fraude, enfrentando uma pena de quatro anos prisão.

A acusação pede uma pena de quatro anos para Yoo Dae-Kyun, de 44 anos, acusado de desviar mais de sete milhões de dólares da Chonghaejin Marine Co., a empresa que operava o ferry que afundou em abril.

Três outros membros da família - a mãe de Yoo e dois tios - foram também detidos sob a mesma acusação. A irmã, Yoo Sum-Na, de 48 anos, enfrenta o risco de extradição de França, devido a acusações semelhantes.

O peso excessivo da carga e o design ilegal do ferry foram apontados como estando na origem do desastre do 'Sewol', que causou a morte de mais de 300 pessoas, a maioria jovens em idade escolar.

O corpo do pai de Yoo, Yoo Byung-Eun, foi encontrado em junho em elevado estado de decomposição. Após o naufrágio, foi lançada uma 'caça ao homem' por todo o país.

O capitão do navio - atualmente a ser julgado por homicídio em Gwangju - insistiu que os donos do ferry eram os verdadeiros culpados pelo desastre, já que foram eles que tomaram a decisão de sobrecarregar o navio.

Em tribunal, Yoo Dae-Kyun manifestou remorso. "Peço desculpa", disse.

A ideia foi sublinhada pelo seu advogado: "O acusado sente profundos remorsos pelos seus erros e tem rezado pelas famílias das vítimas".

Segundo o advogado, Yoo disponibilizou-se para pagar compensações às famílias.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG