Apple e Facebook pagam a funcionárias para congelar óvulos

Facebook e a Apple estão a oferecer às funcionárias a possibilidade congelarem os seus óvulos, incluída no seguro de saúde. O objetivo é atrair e manter as mulheres talentosas na empresa.

As empresas tecnológicas de Silicon Valley são muitas vezes acusadas de serem clubes de rapazes. Agora, companhias como o Facebook e a Apple estão a oferecer às funcionárias a possibilidade congelarem os seus óvulos, incluída no seguro de saúde.

O Facebook paga despesas relativas ao procedimento até vinte mil dólares, mesmo que não existam razões de saúde por trás da decisão. Oferece também apoios à adoção e utilização de barrigas de aluguer, bem como outros serviço de fertilidade para funcionários de ambos os sexos.

Também a Apple vai começar a pagar as despesas das empregadas relativas ao congelamento de óvulos, segundo avançou à NBC News. A possibilidade é uma das iniciativas da empresa para ser mais inclusiva, além de oferecer licença de parentalidade e reembolso de despesas de educação dos empregados.

A ideia é que ao congelarem os seus óvulos antes dos 30, as mulheres terão mais possibilidade de serem mães mais tarde, uma vez que a fertilidade diminui bastante com a idade, sobretudo após os 35. "É uma boa medida, mas trata-se de uma decisão muito pessoal para cada mulher trabalhadora", comentou Kellye Sheehan, da organização Mulheres na tecnologia, citada pelo USA Today.

As estatísticas mostram que 70% dos 98 mil funcionários da Apple são do sexo masculino. A percentagem é semelhante no Facebook.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG