Se for detido na Líbia, Kadhafi será julgado no país

O ministro da Justiça do Conselho Nacional de Transição (CNT) líbio, Mohamed al-Alagi, afirmou hoje em Rabat que se Muammar Kadhafi for detido na Líbia será julgado no país.

Em declarações aos jornalistas à margem de um fórum internacional sobre transições democráticas no mundo árabe, Alagi disse ainda que espera que se Kadhafi estiver fora do país "a comunidade internacional o prenda e o entregue ao Tribunal Penal Internacional".

O responsável pela Justiça no período de transição líbio disse ainda que "o CNT não se vai candidatar às primeiras eleições líbias", uma ideia que já tinha deixado durante a breve intervenção que fez no fórum, que decorre no MNE marroquino. "O que queremos é ter um Estado civil democrático", indicou, referindo que espera que o período de transição esteja concluído dentro de oito meses.

"As eleições presidenciais são a última etapa", afirmou, destacando que a prioridade agora é libertar a Líbia. O fórum, que está a decorrer em Rabat, contou com a participação de representantes de países como a Tunísia, Jordânia e Egipto e termina hoje.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG