Reencontros cancelados e férias com final trágico no voo MH5017

Entre as 116 vítimas mortais do voo da Air Argélie, que se despenhou na quinta-feira no Mali, estavam muitas e numerosas famílias, principalmente francesas e canadianas.

A lista de passageiros do voo que vitimou 116 pessoas, na tarde quinta-feira, no Mali, revela que a bordo do aparelho viajavam muitas famílias, residentes principalmente em França e no Quebeque, no Canadá.

Winmalo e Angelica Somda, oriundos do Burkina Faso e residentes há cinco anos no Quebeque, Canadá, estavam na sua terra natal para as Bodas de Ouro dos pais de Winmalo. Viajavam com os dois filhos, Nathanael e Arielle, e o irmão de Winmalo, Wilfred. Com eles seguia a também residente no Quebeque, Isabelle Prevost, filha do cineasta Jean-Pierre Prevost e mãe de três crianças de 5, 7 e 8 anos. Isabelle alegadamente nunca tinha viajado de avião.

Parte da família Zoungrana ia também no avião. Mamadou Zoungrana, marido e pai, comprou três bilhetes para a mulher e os dois filhos se juntarem a ele em Gatineau, no Quebeque, depois de dois anos longe da família."Todos os dias contava o tempo que faltava para eles chegarem", disse Mamadou à CBC News. Tragicamente, o reencontro acabou por não acontecer.

Todos os membros da família francesa Gineste, de cinco elementos, morreram no voo argelino. O Sr. Gineste, a sua mulher, Veronique, e os três filhos, com idades entre 14 e 19 anos, eram membros de uma organização no Burkina Faso, e empregavam 23 pessoas na sua farmácia em Gueret, França.

Também família Ouedraogo, residente em Nantes, França, ia no aparelho. "A bordo ia o meu irmão, a sua esposa, os seus quatro filhos e um sobrinho, filho da minha irmã", confirmou à AFP Amadou Ouedraogo, que tal como a família do seu irmão desaparecido, vive naquela região francesa.

O mesmo destino tiveram os franceses Bruno e Caroline Cailleret, que tinham ido de férias ao Burkina Faso com os seus filhos Elno e Chloe, de 14 e 10 anos e com a mãe de Caroline.Moravam em Menet, perto de Marselha. A pequena cidade francesa está "devastada" com as notícias. "Toda a gente conhecia a família, que morava em frente à Câmara Municipal. Ainda ninguém acredita no que aconteceu" disse Denise Labbe, funcionária da Câmara.

O caso mais chocante é o da família Reynaud, cujos 10 membros morreram na queda do avião. Bernard Reynaud, de Lorette, em França, morreu ao lado de sua ex-mulher, Michelle, que morava em Lyon. Com eles estavam os filhos Franck e Eric, as suas mulheres, Laure e Estelle, e os netos de Bernard e Michelle, Nathan, Julie, Alexi e Zoe. Regressavam de umas férias no Burkina Faso, onde tinham amigos em Ouagadougou, a capital do país. "É difícil, muito difícil, ele era um amigo excepcional. Somos amigos há 40 anos e estudámos juntos" lamentou Jean-Jacques Dupre, um amigo de Bernard Reynaud.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG