NATO bombardeia áreas pró-Kadhafi

Aviões da NATO prosseguiram hoje os ataques a diversos alvos nas áreas que permanecem leais ao antigo líder líbio Muammar Kadhafi, após as forças rebeldes terem anunciado uma retirada após contra-ataques dos opositores.

Em Bani Walid, um dos últimos bastiões dos apoiantes da Kadhafi, as forças conotadas com a rebelião desencadearam dois assaltos conjugados, mas as forças lealistas forçaram ao recuo dos rebeldes, num sinal de que os combates estão longe do fim, segundo a agência France Presse.

A NATO, que nos últimos seis meses desempenhou uma função decisiva na destruição do aparelho militar do regime líbio, disse que os seus aviões atingiram no sábado em Bani Walid um tanque, dois veículos blindados e um lança-foguetes múltiplo.

A aviação aliada também protagonizou bombardeamentos nos arredores de Sirte, a cidade natal de Kadhafi, e nas localidades de Waddan e Sabha, no deserto do sul da Líbia.

Um comandante militar dos ex-rebeldes, citado pela agência noticiosa AP, precisou que as suas forças conseguiram penetrar em Bani Walid, mas após se terem deparado com forte resistência a NATO pediu-lhes para recuarem com o objectivo de desencadear ataques aéreos.

"Um grande número de pessoas entrou em Bani Walid, mas tivemos de recuar devido ao fogo pesado", disse. "Ontem [sábado] a NATO pediu para recuarmos sete quilómetros porque estavam a atacar bases militares e rampas de lançamento de foguetes", precisou.

As autoridades rebeldes líbias, que entraram na capital Tripoli em 21 de Agosto, asseguraram em paralelo que continuam a negociar com personalidades de Sirte a possibilidade de uma rendição pacífica.

"As negociações continuam. Decidimos mostrar mais paciência com os nossos irmãos de Sirte para evitar o derramamento de sangue", disse em declarações à televisão árabe Al-Jazira o porta-voz das novas autoridades líbias, Mustafa Nuh.

No sábado, expirou o ultimato apresentado pelo Conselho Nacional de Transição (CNT, o órgão político da rebelião) aos últimos bastiões pró-Kadhafi para deporem as armas.

No entanto, Nuh não indicou se foi emitido um novo ultimato aos combatentes de Sirte, 450 quilómetros a leste de Tripoli, ou a outras cidades.

O mesmo porta-voz adiantou que membros das brigadas pró-Kadhafi abandonaram as suas posições em direção a Misrata, 140 quilómetros a nordeste de Bani Walid, onde se envolveram em combates com forças rebeldes.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG