Mineiros vão apresentar queixa contra a polícia

Representantes dos 12 mil mineiros sul-africanos despedidos da empresa Anglo American Platinum anunciaram no domingo que pretendem acusar a polícia pela morte de um colega na sequência de confrontos com as autoridades.

"O que queremos fazer é apresentar queixa contra a Polícia Sul Africana", disse um representante dos trabalhadores da mina na cidade de Rustenburg.

De acordo com a agência de notícias France Presse o trabalhador morto foi identificado pelos colegas como sendo Mtshunquleni Qakamba, de 48 anos, e morreu na quinta-feira quando a polícia disparou balas de borracha e gás pimenta para dispersar um grupo de grevistas.

"Eles dispararam contras as pessoas até terem morto um dos nossos colegas", disse Tyobeka à AFP, acrescentando que os trabalhadores querem apresentar queixa por homicídio e tentativa de homicídio.

Segundo aquele trabalhador, os grevistas não estavam a ripostar contra a polícia, estavam simplesmente sentados numa encosta.

As autoridades não confirmaram ainda a identidade do homem, nem as causas da morte.

Um investigador independente da polícia tomou, entretanto, conta da investigação, já que o "incidente parece decorrer da ação policial", lê-se num comunicado das autoridades.

Qakamba faz parte de uma lista cada vez maior de incidentes fatais decorrentes de uma violência crescente que tem afetado o setor mineiro na África do Sul.

Desde agosto, milhares de trabalhadores de diferentes minas entraram em greve por causa de pagamentos e as intervenções policiais tornaram-se agressivas em algumas ocasiões.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG