Malema acusado de branqueamento de capitais

O ex-líder da ala juvenil do ANC, partido no poder na África do Sul, Julius Malema, foi acusado do branqueamento de capitais. Ao contrário do que era esperado, o ex-dirigente do ANC não foi acusado de fraude e corrupção.

O ex-líder da Juventude do ANC Julius Malema foi formalmente acusado do crime de branqueamento de capitais no tribunal regional de Polokwane, capital da província sul-africana de Limpopo.

Ao contrário do que toda a comunicação social sul-africana antevia, Malema não foi acusado de fraude e corrupção, sendo libertado com uma caução de 10 mil rands (943 euros).

Questionado sobre a ausência dos crimes de fraude e corrupção na nota de culpa, elaborada pela unidade especial de investigação "The Hawks", o porta-voz da brigada, McIntosh Polela disse que tais acusações nunca fizeram parte do processo-crime contra Malema e que a sua brigada "não pretende conduzir o julgamento nos media".

"Branqueamento de capitais é um crime grave previsto na legislação contra o crime organizado e que pode ser punido com pena de prisão até 15 anos", disse Polela.

Com um semblante tranquilo, Julius Malema saudou os muitos apoiantes que enchiam as galerias do tribunal regional de Polokwane logo após o anúncio das condições da sua libertação.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG