Trevor Manuel renuncia a cargos no ANC

Trevor Manuel, o atual ministro do Planeamento Económico e que esteve à frente das Finanças sul-africanas desde a presidência de Nelson Mandela, em 1994, anunciou hoje que renuncia a todos os cargos no Congresso Nacional Africano (ANC).

Trevor Manuel é unanimemente considerado o grande responsável pelo êxito económico da África do Sul pós-"apartheid", através de programas e políticas favoráveis ao investimento e que permitiram um crescimento económico de cerca de 5 por cento ao ano, durante uma década e meia.

" margem da 53.ª conferência eleitoral do partido no poder, na cidade de Mangaung (antiga Bloemfontein), Manuel salientou que a recusa em aceitar nomeações para o Comité Executivo Nacional (o mais importante órgão decisório do partido, com a sigla NEC), se deve à vontade de abrir caminho a uma nova geração de dirigentes, que possa manter a África do Sul na rota do sucesso nas próximas décadas.

O ministro do Planeamento sul-africano afirmou não estar "zangado nem descontente" com a situação interna no ANC, mas sublinhou "estar convencido de que os valores do mais antigo movimento de libertação africano estão a ser destruídos pelo atual clima de rivalidade entre dirigentes que aspiram a posições de liderança.

"Isso resulta no empobrecimento das definições de políticas a seguir pelo partido e no enfraquecimento do parlamento", acusou o economista.

A conferência do ANC foi igualmente informada da autoexclusão de um outro membro histórico do Comité Executivo Nacional do partido: Jeremy Cronin, que é também dirigente de cúpula do Partido Comunista Sul-africano (SACP).

"Depois de 21 anos e meio, temos de nos interrogar se ainda possuímos aquela sede necessária para servir", referiu Trevor Manuel, numa entrevista ao jornal City Press.

"Chegou a hora de injetar no sistema sangue novo. Pretendo ser uma espécie de mentor de novos dirigentes. Penso que tenho a obrigação de fazer isso", concluiu Manuel.

O ministro é casado com a economista luso-sul-africana Maria Ramos, presidente do conselho de administração do banco ABSA, e que já foi diretora-geral do Tesouro e CEO da empresa estatal de portos e caminhos-de-ferro Transnet.

Exclusivos