17 mortos em explosões num campo militar

Pelo menos 17 pessoas morreram e mais de 100 ficaram feridas nas explosões ocorridas em depósitos de munições num campo militar de Dar-es-Salaam, indicou hoje o Primeiro-ministro Mizengo Pinda.

"Até esta manhã, havia 13 corpos no hospital de Amana, dois no hospital de Temeke e outros dois no hospital nacional de Muhimbili", os três estabelecimentos hospitalares de Dar-es-Salaam, declarou frente à Assembleia nacional. Até agora foram contabilizados quase 145 feridos, mas o número de vítimas pode aumentar, precisou Pinda, cujas declarações foram transmitidas na rádio nacional.

As explosões ocorreram cerca das 20:30 (17:30 de quarta-feira) num depósito de munições do campo militar de Gongo la Mbolo, na periferia de Dar-es-Salaam, e estenderam-se a outros depósitos do campo, semeando o pânico na população dos arredores, explicou o Primeiro-ministro.

Quase 4.000 pessoas que vivem perto do campo fugiram de casa e encontraram refúgio num estádio de Dar-es-Salaam, precisou. Pinda precisou que o presidente Jakaya Kikwete convocou para hoje uma reunião do Conselho nacional de segurança e que o exército está a investigar a origem das explosões.

Os trabalhos da Assembleia nacional de hoje foram adiados para sexta-feira. De acordo com o diário tanzaniano Citizen, 23 depósitos de munições foram destruídos por estas explosões.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Daniel Deusdado

Estou a torcer por Rio apesar do teimoso Rui

Meu Deus, eu, de esquerda, e só me faltava esta: sofrer pelo PSD... É um problema que se agrava. Antigamente confrontava-me com a fria ministra das Finanças, Manuela Ferreira Leite, e agora vejo a clarividente e humana comentadora Manuela Ferreira Leite... Pacheco Pereira, um herói na cruzada anti-Sócrates, a voz mais clarividente sobre a tragédia da troika passista... tornou-se uma bússola! Quanto não desejei que Rangel tivesse ganho a Passos naquele congresso trágico para o país?!... Pudesse eu escolher para líder a seguir a Rio, apostava tudo em Moreira da Silva ou José Eduardo Martins... O PSD tomou conta dos meus pesadelos! Precisarei de ajuda...?

Premium

arménios na síria

Escapar à Síria para voltar à Arménia de onde os avós fugiram

Em 1915, no Império Otomano, tiveram início os acontecimentos que ficariam conhecidos como o genocídio arménio. Ainda hoje as duas nações continuam de costas voltadas, em grande parte porque a Turquia não reconhece que tenha havido uma matança sistemática. Muitas famílias procuraram então refúgio na Síria. Agora, devido à guerra civil que começou em 2011, os netos daqueles que fugiram voltam a deixar tudo para trás.