Homem imola-se pelo fogo na Tunísia

Um homem desempregado imolou-se pelo fogo frente ao governo regional de Gafsa, na Tunísia, noticia a AFP. Foi com um acontecimento semelhante que, a 17 de Dezembro de 2010, se iniciou aquilo que ficou conhecido como Primavera Árabe.

De acordo com a AFP, o homem, de 48 anos e com três filhos, estava desempregado e aproveitou a visita de três ministros à cidade, capital da região homónima situada no centro da Tunísia, para esta chamada de atenção.

O homem, que fazia parte de um grupo de manifestantes que protestava há vários dias frente à sede do governo de Gafsa, foi transportado para o hospital em estado grave.

"Ele pediu para ser recebido pela delegação de ministros e não teve resposta", contou um fonte local à AFP. "Encharcou-se de gasolina e incendiou-se, sem nada dizer", acrescentou.

"A situação é muito inquietante e corre o risco de degenerar", avisou um sindicalista local, Amar Amroussia.

O acto de desespero de um jovem vendedor ambulante que a 17 de dezembro de 2010 se imolou na Tunísia tornou-se símbolo do descontentamento da população com a pobreza, o desemprego, a ditadura e a corrupção e deu origem à primeira revolta.

Seguiram-se protestos no Egito, Jordânia, Iémen, Bahrein, Líbia, Síria e até na ultraconservadora Arábia Saudita.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG