Forças francesas matam mais de 60 islamitas no norte do Mali

Mais de 60 rebeldes islamitas foram mortos no domingo na cidade e na periferia de Gao, no norte do Mali, durante bombardeamentos intensos das forças francesas, informaram hoje habitantes e responsáveis da segurança.

"Mais de sessenta islamitas foram mortos em Gao e nas suas bases situadas perto da cidade. Durante a noite, os islamitas que ficaram escondidos nas casas saíram para recolher os corpos dos camaradas", disse à AFP por telefone um habitante de Gao, cujo testemunho foi confirmado por outros habitantes e uma fonte da segurança regional.

A mesma fonte adiantou que a maioria das mortes ocorreu no campo de militares de Gao: "Os islamitas foram surpreendidos em plena reunião. Houve muitos mortos".

"O balanço é pesado no campo dos islamitas. Eles perderam enormemente em logística e em homens. O número de 60 vítimas não é de todo exagerado em Gao. O balanço deve mesmo ser mais elevado", disse a fonte à AFP.

Declarando-se "em guerra contra o terrorismo" no Mali, a França bloqueou na sexta-feira o avanço dos grupos armados islamitas, que controlam o norte do Mali há nove meses, em direção ao centro do país, e bombardeou pela primeira vez no domingo as posições islamitas no norte, em Gao e Kidal, coração dos territórios rebeldes.

Segundo duas testemunhas, jovens de Gao reuniram-se para "festejar discretamente" a derrota dos islamitas.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG