E-nca admite que comentário de Graça Machel é de 2009

Uma declaração de Graça Machel sobre a saúde do marido, Nelson Mandela, na qual ela afirmava que "o espirito e a chama de Mandela se estão a extinguir" é, afinal, material de arquivo gravado em 2009, admitiu a estação de televisão sul-africana "e-nca".

Jeremy Maggs, apresentador do segmento "News Night" da estação de notícias, apresentou na noite de terça-feira desculpas públicas pelo "erro" cometido pelos responsáveis que, na noite anterior, haviam transmitido um trecho de uma entrevista feita a Graça Machel em 2009, sem mencionar que se tratava de material de arquivo.

"A e-nca quer clarificar que este excerto faz parte de uma entrevista dada em 2009 e que não é uma entrevista nova. Graça Machel não estava, de forma alguma, a referir-se à atual hospitalização de Nelson Mandela", disse o apresentador, que de seguida pediu desculpas pela "confusão que possa ter sido criada".

A curta declaração da ativista moçambicana, casada desde 1998 com o símbolo maior da luta anti-"apartheid", transmitida segunda-feira pela e-nca e inserida numa reportagem sobre a presente hospitalização de Nelson Mandela num hospital de Pretória - onde está a ser tratado a uma infeção respiratória - correu mundo, tendo sido citada por televisões, rádios e jornais em vários continentes, incluindo a agência Lusa, com base no trabalho da e-nca.

Nessa declaração, Graça Machel confessava ser "de partir o coração observar o espírito e a chama de Mandela a extinguirem-se" à medida que ele envelhece.

"Tem sido doloroso vê-lo envelhecer", disse ainda Machel na referida entrevista, referindo-se ao estadista, ativista e ex-prisioneiro político, de 94 anos de idade.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG