Aécio vota e acusa Dilma de fazer "terrorismo" para continuar no poder

O candidato à presidência Aécio Neves, do Partido da Social Democracia Brasileira, de centro-direita, votou por volta das 10:30 locais (12:30 em Lisboa), em Belo Horizonte, capital do Estado de Minas Gerais, e criticou a "sordidez" da campanha.

"Eu, se vencer estas eleições, a primeira grande missão que terei é da unificação do país. E vamos fazer isso demonstrando que as acusações que nos faziam os partidários da candidata oficial nada mais eram que o terrorismo para se manterem no poder", disse após votar.

Neves demorou menos de dez segundos para votar na urna eletrónica colocada numa escola estadual, e acenou para os fãs e fotógrafos, segundo a imprensa local. Registaram-se alguns tumultos com o público, que tentava fotografar o candidato, e com a imprensa.

A segunda volta das eleições presidenciais brasileiras ocorrem hoje, até as 17:00 locais, e os brasileiros podem escolher Neves ou a atual Presidente Dilma Rousseff, do Partido dos Trabalhadores, de centro-esquerda. Devido às diferenças de fuso horário de até três horas no Brasil, o encerramento das urnas começa às 19:00 horas de Lisboa, e estende-se até as 22:00.

Após votar, o candidato criticou, em conferência de imprensa, a postura dos seus adversários, e afirmou que esta foi a campanha "mais sórdida" já feita, e realçou que já se considera um "vitorioso".

O social-democrata também falou sobre as últimas sondagens de intenção de voto, que apontam Rousseff como a preferida dos eleitores, afirmando que as pesquisas "falharam muito" na primeira volta. "A minha primeira missão [se eleito], é promover a união nacional", disse.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG