Aécio ganha fôlego na reta final e ultrapassa Marina

Candidato do PSDB passou ecologista em três sondagens e é dado como o rival de Dilma na segunda volta. Mais de 142 milhões de eleitores brasileiros votam hoje.

Aécio Neves recebeu um presente nas últimas horas da campanha para as presidenciais de hoje: três sondagens colocam-no em segundo lugar nas intenções de voto, à frente de Marina Silva, uma estreia desde a entrada na corrida da candidata do PSB, que substituiu Eduardo Campos após a sua morte a 13 de agosto.

Segundo o CNT/MDA, o candidato do PSDB obteve 24% das preferências contra 21,4% da antiga senadora. A liderança continua a pertencer à presidente Dilma Rousseff, com 40,6%. Num possível confronto com Marina Silva na segunda volta, Aécio ganha a chave do Palácio do Planalto, com 43% dos votos. O resultado já não lhe sorri que em caso de frente-a-frente com Dilma, com a presidente a recolher 46% das intenções de voto. A vitória da petista será mais dilatada (47,6%) se passar à segunda volta com Marina Silva.

As boas notícias para o tucano não ficam por aqui. A sondagem do Ibope mostra uma subida de cinco pontos de Aécio, que passa de 22% para 27%, enquanto a ex-ministra cai de 28% para 24%. Esta pesquisa dá ainda 46% dos votos válidos a Dilma Rousseff.

No que diz respeito a cenários de segunda volta, que se realizará no dia 26 se hoje nenhum dos candidatos conseguir 50% mais um dos votos, as previsões do Ibope são semelhantes às do CNT/MDA. Num confronto com Aécio (37%), Dilma sai vencedora, com 45%. O mesmo acontece num frente-a-frente entre a presidente (45%) e Marina (37%). A ecologista (36%) sairia igualmente derrotada se enfrentasse o candidato do PSDB (39%).

Também o Datafolha mostra Aécio Neves (26%) à frente de Marina Silva (24%) por dois pontos, o que é considerado um empate técnico devido à margem de erro, tal como considera o Ibope. Dilma lidera com 44% das intenções de voto. Nos confrontos da segunda volta, Dilma vence tanto o tucano como a candidata do PSB - 53% contra os 47% de Aécio e 55% contra os 47% de Marina.

LEIA MAIS PORMENORES NA EDIÇÃO E-PAPER DO DN:

Exclusivos

Premium

Ferreira Fernandes

A angústia de um espanhol no momento do referendo

Fernando Rosales, vou começar a inventá-lo, nasceu em Saucelle, numa margem do rio Douro. Se fosse na outra, seria português. Assim, é espanhol. Prossigo a invenção, verdadeira: era garoto, os seus pais levaram-no de férias a Barcelona. Foram ver um parque. Logo ficou com um daqueles nomes que se transformam no trenó Rosebud das nossas vidas: Parque Güell. Na verdade, saberia só mais tarde, era Barcelona, toda ela.