Advogado americano que está preso após escândalo sexual é reeleito deputado

O deputado Joseph D. Morrissey está a cumprir seis meses de prisão, após se saber que tinha uma relação com uma rececionista de 17 anos que trabalhava no seu escritório.

O advogado Joseph D. Morrissey foi reeleito deputado no estado da Virgínia, nos Estados Unidos, mesmo enquanto cumpre seis meses de prisão após um escândalo sexual que envolvia uma menor de idade. Na quarta-feira de manhã, pôde sair da prisão para ser empossado.

O jornal Washington Postdescreve a situação como "um novo drama" para os deputados da Virgínia: "um legislador prisidiário que faz leis de dia e vai para a prisão de noite".

Quando foi condenado a seis meses de prisão, no mês passado, Morrissey demitiu-se do seu posto enquanto deputado mas disse que iria voltar a candidatar-se para o lugar. Venceu com 42% dos votos, o que surpreendeu os peritos.

"É realmente incrível que um homem com mais bagagem que a Amtrak [companhia americana de comboios] tenha sido eleito numa cela de prisão", disse ao Post o cientista político Stephen Farnsworth, da Universidade de Mary Washington.

Durante o mês que tem estado preso, Joseph D. Morrissey foi incluído num programa que o permitia sair da prisão durante o dia. Aproveitava para fazer chamadas de campanha no seu escritório de advogados.

No seu julgamento, Morrissey declarou-se culpado de "contribuir para a delinquência de um menor", após se saber que tinha uma relação com a rececionista do seu escritório, que tinha 17 anos. Morrissey, de 57 anos, disse que era inocente, mas que se declarava culpado para evitar uma condenação mais gravosa.

De acordo com a agência Reuters, os deputados republicanos e democratas da Virgínia já se preparam para iniciar o processo de expulsar ou censurar Morrissey.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG