Acabou a polémica quarentena a enfermeira americana

Kaci Hickox já foi "libertada" depois de durante o fim de semana ter acusado o governo de ter violado os direitos humanos.

A enfermeira chegou a Nova Jérsia na sexta-feira da Serra Leoa e foi a primeira a ser sujeita às novas regras que obrigam a ficar em isolamento para verificar a possibilidade de infeção do vírus do ébola. Kaci Hickox viajar de avião privado para o Maine, evitando assim o contacto com outras pessoas.

"As autoridades de saúde do Maine foram notificadas e irão determinar, segundo as suas leis, o tratamento dela [enfermeira] quando chegar", lê-se num comunicado, segundo a CNN.

No fim de semana, Kica Hickox fez fortes críticas contra o governador de Nova Jérsia, Chris Christie, ao saber que a tinham diagnosticado como "obviamente doente". Em entrevista à CNN a enfermeira que tratou de doentes com ébola na Serra Leoa, salientou que não apresentava qualquer sintoma. Contou ainda que esteve sete horas no hospital antes de ser colocada em quarentena, não teve autorização para ficar com a sua bagagem, não tinha chuveiro, casa-de-banho com autoclismo, televisão ou qualquer espécie de leitura.

Hickox considerou que estava numa prisão e questionou a escolha de Nova Jérsia, Nova Iorque e Illionois em colocar de quarentena os profissionais de saúde que tenham estado em contacto com doentes com ébola na África Ocidental.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG