A saída de Tania Sánchez abre uma fratura na Esquerda Unida

Aos 35 anos, a deputada regional e candidata da IU à presidência da Comunidade de Madrid bateu com a porta. Uma certeza: não vai entrar no Podemos, do namorado, Pablo Iglesias. Vai pensar no seu próprio projeto político.

A deputada regional e candidata à presidência da Comunidade de Madrid pela Esquerda Unida (IU), Tania Sánchez, sai do partido. A política de 35 anos afirmou ontem, em conferência de imprensa, que tomou esta decisão para não ser "cúmplice" da atual direção regional, mas não esclareceu com que partido vai se apresentar nas próximas eleições regionais.

Numa coisa Sánchez foi clara: "Não vamos entrar no Podemos." E reconheceu que ela e a sua equipa saem "para não serem expulsos da que foi a nossa casa". A crise interna na IU está a deixar ao partido de esquerda com cada vez menos apoio. O grande beneficiário é o Podemos, que tem cada vez mais seguidores.

Sánchez deixa o partido dois meses depois de ganhar as primárias para se candidatar à Comunidade de Madrid e quando faltam menos de quatro meses para as eleições autonómicas. Para trás ficam dois meses de confrontos com vários dirigentes da IU, liderada por Cayo Lara, que apoiaram outros candidatos e que estavam contra a convergência com outros partidos da esquerda, defendida por Sánchez.

Leia mais pormenores na edição impressa e no epaper do DN

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG