1.º presidente pós-Primavera Árabe promete o fim do autoritarismo na Tunísia

Líder do país que iniciou as revoltas pró-democracia no mundo árabe, Essebsi serviu Bourguiba e Ben Ali. Opositores temem que, aos 88 anos, represente o regresso do velho regime.

Aos que o acusam de ter sido aliado de Zine El Abidine ben Ali, o ditador tunisino que foi derrubado do poder pela revolta que ficou conhecida como Primavera Árabe, Beji Caid Essebsi responde assim: "A hegemonia é uma ilusão (...). Não haverá um regresso a essa situação [na Tunísia]. Sou a favor de que se vire completamente a página do passado e se olhe em direção ao futuro. Num processo democrático há regras."

O primeiro presidente eleito pelos tunisinos desde a revolta que começou em dezembro de 2010, Essebsi, de 88 anos, venceu a segunda volta das presidenciais de 21 de dezembro com 55,68%. O seu principal rival, Moncef Marzouki, ficou em segundo com 44,32%. Para acautelar que os tempos de Ben Ali não voltarão à Tunísia, este prometeu criar um movimento "contra o regresso da ditadura".

Leia mais pormenores no epaper do DN

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG