novos rostos do terror

Dias após a operação militar dos EUA que o eliminou na sua casa do Paquistão, contam-se as espingardas na Al-Qaeda para escolher um sucessor para Ussama ben Laden. Há quem diga que os novos chefes militares da Al-Qaeda irão ser "consideravelmente" mais violentos.

Um filho de Ussama ben Laden que recusou seguir as pisadas do pai afirmava há meses que o líder da Al-Qaeda era o menos sanguinário da organização. E Omar, que vive entre Londres e o Cairo, alertou que a situação seria muito pior quando o pai desaparecesse, dando a entender que os EUA fariam melhor em mantê-lo vivo. Preocupação de filho? Talvez. Mas Omar não está sozinho na sua análise. Citados pela imprensa internacional, em especial pelos jornais britânicos, peritos da CIA lá vão afirmando, alguns a coberto do anonimato, que os novos chefes militares da Al-Qaeda irão ser "consideravelmente" mais violentos do que Ussama ben Laden. Michael Scheuer, ex-chefe da unidade da CIA sobre Ben Laden, afirmou que, "dentro de três ou quatro anos, olharemos para Ben Laden como um homem mais tolerante e menos sanguinário" do que os seus sucessores. Dez dias após a operação militar dos EUA que o eliminou na sua casa do Paquistão, contam-se as espingardas na Al-Qaeda para escolher um sucessor. Ou talvez não. Algo que só deverá saber-se após os 40 dias do luto, que, aliás, não foi respeitado pelos talibãs para vingar a morte de Ben Laden.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG