Um prodígio com viola-d'arco nas mãos

Ana Bela de Abreu Chaves (Lisboa, 25 de Março de 1952) formou-se no Conservatório Nacional (CN) em violeta (viola-d'arco, família do violino) em 1967, sob orientação de François Broos. E em 1969 começava a escalada de brilho: ganhava o Prémio Viola-D'Arco do CN. A lista de distinções acumulou-se: por cá (Imprensa, 1971; Guilhermina Suggia (violeta, 1971; câmara, 1972) e lá fora (concursos internacionais de Ourense, 1974, e Genebra, 1977). Foi solista de várias orquestras, como a Filarmónica de Lisboa, a Gulbenkian e a de Paris.

Ler mais

Exclusivos