Cozinha de autor ao alcance de todos

O conceito de cozinha de autor acessível começou com os 'chefs' Jöel Robuchon e Alain Senderens. Agora são os portugueses a praticar menus com preços que vão dos 2,50 aos 32,5 euros.

Desde que o chef francês Robuchon se revoltou contra a tirania das estrelas Michelin - e ele tinha três delas! - e encerrou há cinco anos o sofisticado e caríssimo Restaurante Jamim, em Paris, e abriu o L'Atelier, com um novo conceito de culinária de autor ao alcance de todos, esta tendência tem circulado pelo mundo fora.

Mais marcante ainda ficou com a abertura do Restaurante Bistrô, também em Paris, dirigido pelo chef Alain Senderens - o génio por trás da invenção da nouvelle cuisine - que fechou o célebre Lucas Carton e enveredou pela nova tendência de ter liberdade para criar uma culinária mais em sintonia com a vida moderna  e proporcionar experiências gastronómicas ao grande público.

Esta nova atitude destes emblemáticos chefs internacionais chegou também a Lisboa, com alguns dos melhores chefs portugueses, e estrangeiros radicados na cidade, a apresentar os seus menus de degustação a preços acessíveis em ambientes distintos e personalizados, onde as ementas revelam muito do carácter e da vasta experiência de cada um deles.

Vítor Sobral, com a Tasca da Esquina, Fausto Airoldi, Restaurante Suite, Henrique Sá Pessoa, no Alma, Sommer Ribeiro, no Restaurante Sommer,  Ljubomir Stanisic, no 100 Maneiras, e Luís Baen, no Sky Bar, são alguns dos protagonistas.

Exclusivos