As imagens da devastação do tufão Jebi

O Japão foi atingido pelo tufão Jebi na última terça-feira. As chuvas torrenciais e os ventos fortes provocaram danos em algumas regiões do país, especialmente em Osaka. 11 mortos e mais de 300 feridos é o último balanço.

Artur CassianoFilipe Garcia
O tufão Jebi provocou 11 mortos e mais de 300 feridos. | foto Mandatory credit Kyodo/via REUTERS
Nas redes sociais foram divulgadas imagens que mostram a violência das ondas. | foto TWITTER/ @R10N_SR/via REUTERS
A pista do aeroporto internacional de Kansai ficou inundada. | foto EPA/JIJI PRESS
Na última terça-feira mais de 600 ligações aéreas foram canceladas. | foto Kyodo/via REUTERS
Centenas de passageiros tiveram de pernoitar no aeroporto. | foto EPA/JIJI PRESS JAPAN
Foi efetuado transbordo por catamarã. | foto Kyodo/via REUTERS
A ponte que liga o aeroporto internacional de Kansai a Osaka ficou intransitável. | foto Kyodo/via REUTERS
Os ventos fortes levantaram algumas embarcações. | foto EPA/JIJI PRESS JAPAN
Um petroleiro embateu num pilar da ponte do aeroporto internacional de Kansai. | foto EPA/JIJI PRESS
As operações de resgate da tripulação do petroleiro tiveram de ser interrompidas devido a uma fuga de gás. Ainda assim, ninguém ficou ferido. | foto EPA/JIJI PRESS JAPAN
Uma pilha de carros destruídos pela passagem da tempestade. | foto Kyodo/via REUTERS
Algumas viaturas foram incendiadas. | foto Kyodo/via REUTERS
A violência dos ventos derrubou vários contentores que estavam nos terminais portuários. | foto EPA/JIJI PRESS
Este foi considerado o tufão mais violento a atingir o Japão num espaço de 25 anos. | foto EPA/JIJI PRESS
A tempestade destruiu algumas estufas. | foto EPA/JIJI PRESS
De acordo com a agência de notícias japonesa Kyodo, algumas empresas recomendaram que as pessoas trabalhassem em casa, enquanto as escolas encerraram e a atividade comercial foi interrompida. | foto EPA/BUDDHIKA WEERASINGHE
Em algumas regiões do Japão as rajadas de vento chegaram a atingir a velocidade de 208 km/h. | foto REUTERS/Toru Hanai
Mais de um milhão de pessoas foram alertadas para deixarem as suas casas. | foto Kyodo/via REUTERS
Algumas pessoas relataram no Twitter que os ventos fortes abanaram complexos de apartamentos e arrancaram ramos de árvores. | foto EPA/JIJI PRESS JAPAN
Em Osaka e nas regiões circundantes 1,6 milhões de habitações ficaram sem eletricidade | foto EPA/BUDDHIKA WEERASINGHE
Em Nagoya houve dificuldades no trânsito devido à existência de árvores derrubadas na via pública. | foto EPA/JIJI PRESS JAPAN
Em frente ao templo Heian Jingū, em Quioto, também era visível o rasto de destruição. | foto Mandatory credit Kyodo/via REUTERS
Foi assim que ficaram os escritórios da autarquia de Gifu, na ilha de Honshu. | foto EPA/JIJI PRESS JAPAN
As ruas de Osaka foram invadidas por painéis levados pelo vento. | foto EPA/JIJI PRESS JAPAN
A circulação de comboios também teve de ser suspensa. As ligações de alta velocidade entre Tóquio e Okayama foram canceladas. | foto EPA/BUDDHIKA WEERASINGHE
O telhado da estação de comboios de Quioto acabou por desabar com a força dos ventos. | foto TWITTER/@CRAZY904KAZ/via REUTERS
Reparação de um portão no porto de Nagoya. | foto EPA/JIJI PRESS JAPAN
Após a passagem da tempestade, é altura de proceder à limpeza da via pública. | foto EPA/JIJI PRESS JAPAN