As comemorações dos 70 anos da Coreia do Norte

No dia 9 de setembro a Coreia do Norte celebrou os 70 anos da sua fundação. Entre os pontos altos das comemorações destacam-se o tradicional desfile militar, este ano sem mísseis de longo alcance, bem como o regresso dos denominados "Jogos de Massas", após cinco anos de ausência, e uma procissão com tochas organizada por estudantes norte-coreanos.

Ana Bela Ferreira
No evento marcaram presença o chefe do parlamento chinês e delegações de países que mantêm relações com o regime de Pyongyang. | foto EPA/HOW HWEE YOUNG
A chegada dos participantes das comemorações. | foto KCNA via REUTERS
Como não podia deixar de ser, os antigos líderes Kim Il-sung e Kim Jong-il foram homenageados. | foto KCNA via REUTERS
O líder do parlamento da Coreia do Norte, Kim Yong-nam, enfatizou no discurso de abertura das comemorações os objetivos económicos do regime, em detrimento do seu poderio nuclear. | foto KCNA via REUTERS
Uma atuação de estudantes norte-coreanos. | foto KCNA via REUTERS
O concerto foi um dos pontos altos das celebrações. | foto EPA/HOW HWEE YOUNG
Transmissão de imagens que mostram a fundação da Coreia do Norte. | foto EPA/HOW HWEE YOUNG
Projeção de um retrato de Kim Jong-un, o atual líder e neto do fundador. | foto EPA/HOW HWEE YOUNG
Em alguns edifícios da Coreia do Norte não passam despercebidas imagens de Kim Il-sung e Kim Jong-un, o fundador do regime da Coreia do Norte e o filho, que lhe sucedeu no poder. | foto REUTERS/Danish Siddiqui
As autoridades costumam usar no fardamento um pin com uma fotografia de Kim Il-sung e Kim Jong-il. | foto REUTERS/Danish Siddiqui
Uma gravura alusiva à vida de Kim Il-sung, o primeiro líder da Coreia do Norte, fundada em 1948 | foto  EPA/HOW HWEE YOUNG
Kim Jong-un visitou o Palácio do Sol de Kumsusan, que serve de mausoléu para os corpos de Kim Il-sung e Kim Jong-il. | foto KCNA/via REUTERS
Kim Jong-un (direita) com o presidente do Congresso Nacional do Povo chinês, Li Zhanshu (esquerda). | foto REUTERS/Danish Siddiqui
"O Partido [Comunista] e o governo chinês dão a máxima prioridade às relações de amizade e cooperação entre a China e a República Popular Democrática da Coreia, e à sua política firme para defender, construir e desenvolver com sucesso relações bilaterais", disse o presidente da China, Xi Jinping, à agência de notícias norte-coreana KCNA. | foto EPA/HOW HWEE YOUNG
Participação num fórum que integrou as comemorações dos 70 anos da Coreia do Norte. | foto KCNA/via REUTERS
Kim Jong-un encontrou-se com o presidente da Mauritânia, Mohamed Ould Abdel Aziz. | foto KCNA/via REUTERS
Os participantes depositaram flores junto ao Grande Monumento da Colina Mansu. | foto KCNA/via REUTERS
Formatura dos participantes junto ao Grande Monumento da Colina Mansu. | foto KCNA/via REUTERS
As estátuas de Kil Il-sung e Kim Jong-un na Praça Kim Il-sung, em Pyongyang. | foto KCNA via REUTERS
A tradicional parada militar. | foto REUTERS/Danish Siddiqui
O desfile militar durou cerca de uma hora e meia. Depois de em junho o presidente dos EUA, Donald Trump, e o líder da Coreia do Norte, Kim Jong-un, se terem comprometido a trabalhar no processo de desnuclearização, apenas foram exibidos mísseis de curto alcance, uma vez que os mísseis balísticos intercontinentais foram alvo de várias sanções internacionais. | foto REUTERS/Danish Siddiqui
Durante a parada militar os participantes agitaram bandeiras da Coreia do Norte e flores de plástico. | foto EPA/HOW HWEE YOUNG
O desfile teve direito a uma arrufada de tambores por parte de estudantes norte-coreanos. | foto REUTERS/Danish Siddiqui
Uma vista aérea da parada militar que marcou os 70 anos da Coreia do Norte. | foto KCNA via REUTERS
Formatura de militares diante de retratos de Kim Il-sung e Kim Jong-il. | foto REUTERS/Danish Siddiqui
Durante o desfile alguns aviões formaram o número 70, em alusão aos 70 anos do regime de Pyongyang. | foto EPA/HOW HWEE YOUNG
Nesta imagem podemos ver uma bandeira humana alusiva ao Partido dos Trabalhadores da Coreia do Norte. | foto KCNA via REUTERS
O hastear da bandeira do Partido dos Trabalhadores da Coreia. | foto EPA/HOW HWEE YOUNG
O logótipo dos 70 anos da Coreia do Norte. | foto EPA/HOW HWEE YOUNG
O líder da Coreia do Norte, Kim Jong-un, na parada militar. | foto KCNA via REUTERS
Os denominados "Jogos das Massas" também foram outro ponto alto das comemorações. | foto REUTERS/Danish Siddiqui
O Estádio Primeiro de Maio Rungrado foi o palco do evento. | foto KCNA via REUTERS
Os jogos utilizaram tecnologia de ponta, incluindo drones que escreveram palavras no céu. | foto REUTERS/Danish Siddiqui
Milhares de bailarinos, ginastas, praticantes de artes marciais e cantores participaram em espetáculos com temáticas alusivas à propaganda norte-coreana. | foto REUTERS/Danish Siddiqui
Os participantes formaram um retrato de Kim Jong-il numa coreografia ensaiada... | foto REUTERS/Danish Siddiqui
...bem como uma mensagem sobre relações estrangeiras multilaterais. | foto REUTERS/Danish Siddiqui
Esta iniciativa regressou após cinco anos de ausência. | foto REUTERS/Danish Siddiqui
De noite houve uma procissão com tochas organizada por estudantes norte-coreanos. | foto KCNA via REUTERS
Como não podia deixar de ser, acompanhada por um retrato de Kim Il-sung. | foto EPA/HOW HWEE YOUNG
As tochas formaram o logótipo das comemorações dos 70 anos da Coreia do Norte. | foto KCNA via REUTERS
O fogo-de-artifício que encerrou as comemorações. | foto KCNA via REUTERS