Duarte Cordeiro: "Desde 2015 investimos 2% do PIB na área da mobilidade"

O Ministro do Ambiente assumiu a mobilidade urbana como "área central da acção do Governo" e revelou que estão em curso investimentos de 3,5 mil milhões de euros nas políticas do setor. Duarte Cordeiro falou esta manhã no arranque do Portugal Mobi Summit, na Nova SBE.

"A mobilidade é central na ação deste governo", garantiu hoje o ministro do Ambiente e da Energia, na intervenção de abertura do Portugal Mobi Summit. Duarte Cordeiro exemplificou com números expressivos a aposta: "Até ao dia de hoje temos comprometidos 3,5 mil milhões de euros só na área da mobilidade".

E aqui estamos a falar de muitas coisas. Desde a expansão da rede de transportes pesados, como a rede de metro, para onde estão alocados 1,7 mil milhões de euros, até ao apoio tarifário, que permitiu a redução do preço dos passes sociais. A descida do custo dos passes para 30 e 40 euros nas áreas metropolitanas custou 1,2 mil milhões de euros, disse o ministro.

Resumindo, o ministro revela um número relevante; "desde 2015 investimos 4,3 mil milhões de euros na área da mobilidade, o que corresponde a 2% do PIB nacional".

"Sem todo este esforço de investimento não teriamos conseguido manter os transportes públicos a funcionar durante a pandemia", admitiu o governante.

Mas as políticas de mobilidade vão mais longe. E, para já, " o desafio é recuperar o número de passageiros para o transporte coletivo anterior ao da pandemia Covid". O nível "ainda não foi recuperado e temos de o atingir", assumiu.

Mais, o governo quer tentar captar 30 milhões de passageiros para o tranporte público, porque isso diminuiria em 18 mil milhões de viagens de transporte individual, disse.

O desígnio justifica-se pelo papel absolutamente central que o transporte coletivo tem para conseguirmos reduzir os níveis de emissões, porque nem tudo se consegue apenas através da mobilidade elétrica.

Duarte Cordeiro referiu-se, por exemplo, à recente estratégia para a mobilidade pedonal, aprovada no último Conselho de Ministros, que pretende aumentar em 35% a percentagem de pessoas que andem a pé, também por razões de saúde.

Mas a mobilidade elétrica é incontornável na nova era da transiçao energética e Portugal pontua bem a nivel internaconal com uma rede de carregamento que se estende a 308 municípios, disse o ministro. "Bateram-se bateram recordes, em setembro, com 1,6 milhões de carregamentos", o dobro do consumo de igual período do ano antreior. Isto significa menos 7,3 milhões de litros de gasóleo gastos e menos 9,5 mil toneladas de emissões de co2 desde 2021.

"É este o impacto da mobilidade elétrica no ambiente" resumiu o ministro da tutela.

"Hoje parece fácil, mas em 2016 fomos o primeiro país a assumir o objetivo na neutralidade carbónica em 2050".

Mais em www.portugalms.com

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG