Os acidentes espreitam, mas basta antecipar para os fazer desaparecer

Sorrateiros e imprevisíveis: esta é a personalidade de muitos dos acidentes que, infelizmente, nos visitam quando menos esperamos.

Incêndios, inundações e fugas de gás são alguns dos imprevistos que podem acontecer quando menos esperamos. E não são só os mais distraídos que sofrem acidentes. Também os mais atentos e meticulosos podem ser confrontados com um inconveniente deste tipo. Mas, felizmente, existem formas de prevenção que podem atenuar a gravidade destes problemas inesperados que, do nada, nos caem ao colo estrondosamente, dando-nos enormes dores de cabeça.

Acidentes que originem incêndio, fugas de gás ou inundações são alguns dos problemas que podem surgir inesperadamente. Afinal, quem nunca deixou uma torneira aberta, se esqueceu de fechar um dos bicos do fogão ou teve uma experiência culinária que correu mal e originou uma chama que se podia ter propagado?

Por estas e outras razões, contar com uma ajuda que permita avisá-lo o mais cedo possível de situações deste tipo é o ideal. Felizmente, existem sistemas de segurança, nomeadamente os da Prosegur, especialmente concebidos para detetar anomalias através de detetores de fumo, gás e inundações - de forma a que mal o acidente desponte possa ser acionada a sua solução.

Isto porque se algum desses incidentes for detetado, o sinal de notificação correspondente será enviado uma central de Segurança com funcionamento durante 24h, sendo, em simultâneo, imediatamente avisada a entidade de segurança adequada. Além disso, a simplicidade é palavra de ordem, uma vez que a instalação destes alarmes é muito simples e não implica custos adicionais, tendo em conta que nem sequer requer obras.

Com este tipo de detetores, qualquer acidente pode ser minimizado e atempadamente resolvido. Pode ser igualmente útil caso possua um estabelecimento comercial, já que contará com uma espécie de sentinela, um sistema de videovigilância que lhe transmitirá uma sensação de segurança extra.

Exclusivos

Premium

Ferreira Fernandes

A angústia de um espanhol no momento do referendo

Fernando Rosales, vou começar a inventá-lo, nasceu em Saucelle, numa margem do rio Douro. Se fosse na outra, seria português. Assim, é espanhol. Prossigo a invenção, verdadeira: era garoto, os seus pais levaram-no de férias a Barcelona. Foram ver um parque. Logo ficou com um daqueles nomes que se transformam no trenó Rosebud das nossas vidas: Parque Güell. Na verdade, saberia só mais tarde, era Barcelona, toda ela.