Ana Gomes traz a world music ao Palco do Diário de Notícias

A artista atua no sábado, às 19:00. Traz smooth jazz à Praça do Município apesar de ter crescido a cantar fado.

O Diário de Notícias despede-se este dia de Reis da Praça do Município, onde esteve desde o início de dezembro com o evento Histórias de Natal DN/Kia, com um debate sobre robótica e inteligência artificial e dois concertos: de Ana Gomes, no sábado, e da Academia de Música de Telheiras, no domingo. É a última oportunidade para visitar o Mercado de Natal, a Casa do Pai Natal e assistir à animação constante da praça mesmo em frente aos Paços do Concelho.

Ana Gomes, a artista de world music nascida em Braga, atua no sábado, às 19:00. Traz smooth jazz ao palco DN, apesar de ter crescido a cantar fado. "Fui descoberta pelo meu professor de música da escola primária que era também compositor de músicas infantis", conta. Foi com canções deste professor que concorreu a festivais de música infantil como o Bravo Bravíssimo.

"Cantava fado canção, até que tive aulas de bossa nova e de canto lírico em simultâneo", explica. Influências distintas que a inspiraram para dois álbuns diferentes - o primeiro de 2014, e o último com data de 2016 "Balanço" com composições de Tozé Brito.

O dueto com o "padrinho" Tozé de Brito
O músico escolheu a artista para fazer parte do seu álbum comemorativo dos 50 anos de carreira, disco lançado em 2018. "Fiquei muito feliz por ter sido convidada para um dueto no disco de Tozé de Brito, porque não foram muitos os artistas escolhidos", contou Ana Gomes, que é também terapeuta musical. "Fiz o curso de Educação, mas o meu Mestrado está relacionado com terapia através da música, mas esta seria uma outra entrevista...", disse a cantora.

Após o lançamento de "Balanço" - as músicas que traz este sábado à Praça do Município - a artista fez uma paragem na carreira. "Fiquei grávida e durante 2017 estive longe dos palcos. Estou de regresso e já a preparar um novo single", revelou.

Para trás ficam atuações nos palcos EDP COOL JAZZ e Standard Jazz de Copenhaga, onde a artista - que só canta em português - demonstrou que a linguagem da música é verdadeiramente universal.

"Fiquei muito surpreendida com a reação do público dinamarquês", descreveu. O concerto é este sábado, ao final da tarde. No dia seguinte, domingo, às 19h00, será a vez da atuação do Coro da Academia de Música de Telheiras.

Ler mais

Exclusivos