7 vinhos para beber este verão com os amigos e família

Vêm aí os tempos por que suspiramos o ano inteiro. Desativamos a cozinha e passamos a cozinhar lá fora, avivando brasas e preparando a mais diversa petiscaria. Largamos os cânones e as obrigações para abraçar o convívio entre amigos e família.

Daniel André
Casa Amarela DOC Douro tinto 2016 | Laura V. Regueiro - Elenco clássico de castas - Touriga Franca, Touriga Nacional, Tinta Barroca e Tinta Amarela - com um trabalho feliz de enologia e estágio quase imperceptível em madeira. Um regalo com cabrito assado, maravilha com carnes grelhadas na brasa. | Classificação: 16,5/20 | Preço: 9 euros
Casa da Esteira Touriga Nacional DOC Douro tinto 2015 | Parceiros na Criação - Cítrico e floral no nariz, a boca apresenta a um tempo sugestões de ameixa cozida e notas terrosas de trufa preta. É um vinho a acompanhar em edições futuras, para já está pronto para estufados longos de caça e pratos gratinados no forno. | Classificação: 17,5/20 | Preço: 17 euros
Pôpa Black Edition DOC Douro tinto 2015 | Quinta do Pôpa - Touriga Franca, Tinta Roriz, Tinta Amarela e Tinto cão e ainda uma boa parte proveniente de vinhas velhas, donde o toque mineral e as impressões salinas na boca. É o grande companheiro de um churrasco longo, óptimo para acompanhar leitão pela definição de boca que proporciona. | Classificação: 17/20 | Preço: 13,50 euros
Tons de Duorum DOC Douro branco 2017 | Duorum - Muito floral no primeiro contacto aromático, na boca é rico em raspas de citrinos. Há tonalidades que se revelam na continuação de prova e que o levam para terrenos mais sérios do que se espera de um “vin de soif”. Representa um bom lifting em relação à edição anterior. | Classificação: 17/20 | Preço: 4,50 euros
Pegos Claros Blanc de Noirs Castelão Vinhas Velhas DOC Palmela branco 2017 | Herdade Pegos Claros - Ameixa branca e nêspera no nariz, a boca é muito estruturada e cheia, com toques cítricos e sugestões salinas. Tem muito futuro, guardá-lo por um par de anos em cave vai revelar todo o património que se sente em gestação. Fantástico para peixes fumados e pratos de bacalhau com azeite. | Classificação: 17,5/20 | Preço: 12 euros
Portalegre DOC Alentejo tinto 2015 | Adega de Portalegre - Castelão, Aragonês, Trincadeira, Grand Noir e Alicante Bouschet, lote de perfil clássico e patrimonial de Portalegre. Notas balsâmicas ligeiras, fruta preta cozida e um equilíbrio em boca que nos põe felizes. Sabe bem dar com vinhos assim. Belo futuro ainda pela frente. | Classificação: 18/20 | Preço: 18 euros
Quinta dos Carvalhais Colheita DOC Dão rosé 2017 | Sogrape - Notas de morango e groselha frescos, acompanhados de um suave citrino, conjunto floral e festivo, como se espera de um bom rosé. Apesar do forte conteúdo aromático, sente-se aptidão gastronómica, bom para acompanhar queijos frescos e requeijão, bem como frutos secos. | Classificação: 16/20 | Preço: 6,50 euros

A cascaria é o trabalho mais sério que temos para fazer ao longo da época que se avizinha, os mais ousados munem-se de grelhadores e as mais diversas alfaias para abordar carnes, legumes e peixes, para gáudio e proveito de todos. Temos de estar munidos de um conjunto mínimo de vinhos para fazer face aos apetites, gostos e cozinhados para que nos orientamos.

O notável rosé da Quinta dos Carvalhais é uma novidade que vai dar grandes alegrias, vale bem a pena ter pelo menos uma caixa na garrafeira. No capítulo dos vinhos brancos, impressionou-nos muito a edição mais recente do Tons de Duorum, a mostrar aptidão para a mesa, e o branco de Castelão que Pegos Claros lançou no mercado promete emoção e surpresa.

Uma vénia à Adega de Portalegre pelo brilhante e clássico tinto que produziu, outra para a Casa da Esteira pelo estreme de Touriga Nacional que pôs em circulação. Da Quinta do Pôpa e da Quinta da Casa Amarela, ambos fortes em Touriga Franca, escolhemos vinhos flexíveis e capazes de abordar os pratos mais diversos. Boas provas!

Percorra a fotogaleria para conhecer as sugestões do crítico Fernando Melo.

Fonte: Evasões