4 garrafeiras em Lisboa para provar e comprar bons vinhos

É bom saber de um vinho ou ler sobre ele e ter onde ir prová-lo ou comprá-lo. E, ao ir comprá-lo, descobrir outros. E, ao descobrir outros, dar acidentalmente com os produtores. E, de caminho, ficar a saber mais sobre as regiões. Este é o mundo admirável das boas garrafeiras. Onde se compra bons vinhos e se sai a ganhar. Muito.

Tiago Dias
Percorra a fotogaleria para conhecer as garrafeiras Estado D'Alma CCB, Delilux, Garrafeira de Campo de Ourique e Garrafeira Nacional.
01. Estado d’Alma CCB | Tiago Paulo tem uma equipa de luxo a trabalhar consigo e tornou-se um ponto incontornável de todos os colecionadores sérios, sommeliers e proprietários de restaurantes. Há sempre que visitar as suas lojas quando o assunto é vinhos raros, títulos antigos e ofertas a preços módicos.
01. Estado d’Alma CCB | Muda diariamente, pelo que há que vigiar de perto. Existem outras lojas – a original é em Alcântara – e na Junqueira há um restaurante onde se petisca a qualquer hora e querendo, faz-se uma boa refeição. Há sempre gente do vinho a passar, o que é outro ponto de atração.
02. Delidelux | É uma das mais belas garrafeiras de Lisboa, pela franca proximidade do rio Tejo, logo ali. A sofisticação do espaço não deve fazer temer pelos preços praticados. São justos e muitas vezes até abaixo dos praticados no mercado, por estratégia dos próprios produtores e distribuidoras que ali os colocam.
02. Delidelux | Há que acrescentar a vertente gourmet, pela grande oferta em qualidade e variedade disponível, nalguns casos em exclusivo. Finalmente, pode fazer-se uma refeição, ou petiscar dentro e fora do espaço, graças à esplanada de que dispõe. No início deste ano, abriu uma segunda morada em Lisboa, junto à Avenida da Liberdade.
03. Garrafeira Nacional | É provavelmente a maior referência nacional das garrafeiras, com clientes que já vão na terceira geração, mantendo-se fiéis. Era outrora aqui que os alfacinhas se abasteciam de vinhos do porto e outros generosos, tradição que de certa forma se mantém. Basta entrar e abismar perante a escolha que existe.
03. Garrafeira Nacional | Mesmo as raridades e os vinhos mais caros e exóticos se encontram nesta grande casa. O que é caro é caro, mas mesmo assim vale a pena conversar com o proprietário, Jaime Vaz. Ninguém é mais conhecedor nem generoso do que ele. Tudo pelo vinho.
04. Garrafeira de Campo de Ourique | Arlindo Santos é o decano e mestre de todos os que em Lisboa – e não só – se dedicam ao negócio do vinho. Começa pela sua personalidade única, sempre a acolher os menos conhecedores e a apresentar-lhes boas compras, e termina na imensa girândola em seu redor, com produtores, enólogos e jornalistas a informar-se das novidades mais recentes.
04. Garrafeira de Campo de Ourique | O sábado de manhã é uma festa, sendo inevitável a invasão da loja gourmet logo em frente, sua propriedade também. Aí, a propósito, come-se bem, petisca-se melhor.

Este é um roteiro por algumas das melhores garrafeiras de Lisboa. Nelas se encontram as grandes referências de vinhos nacionais e internacionais e uma experiência de visita e compra difícil de igualar, tendo em conta o historial dos seus anfitriões. Percorra a fotogaleria para conhecer as garrafeiras Estado D"Alma CCB, Delilux, Garrafeira de Campo de Ourique e Garrafeira Nacional.

Fonte: Evasões