Belém

Rosália Amorim

Menos crispação, mais ação

O ambiente político volta a estar crispado e o Presidente reeleito poderá ter de voltar a colocar na agenda a "descrispação", um desígnio que marcou o arranque do seu primeiro mandato, em Belém. A tensão é política, social, mas é também cada vez mais visível ao nível económico. Nesta semana lemos e ouvimos com preocupação as previsões do Fundo Monetário Internacional (FMI), pela voz do ex-ministro das Finanças português, Vítor Gaspar, e também do economista norte-americano Nouriel Roubini, que ficou conhecido por antecipar a grande crise financeira de 2008.