Atlântico

Adriano Moreira

Os perigos do mar

Desde a origem da CPLP, pareceu a observadores deste acontecimento que a sua circunstância no futuro a criar realidade, além da participação no ensino, na investigação, nos valores da livre governança assumida, devesse ser incluída a ambição de uma frota de origem, no futuro seguramente longínquo, repartida mas articulada ao espírito e à capacidade da CPLP. É certo que o problema financeiro, no que respeita a tão específica interdependência, tem sempre de estar presente, especialmente quando já em 2013 se vaticinava, em avaliação, a ameaça de um Século sem Bússola, como já foi 2020.

Victor Ângelo

Mugabe e Trump, filhos do mesmo monstro

Apesar das boas notícias vindas do estado da Geórgia, o essencial da semana política americana deixou muitos de nós estupefactos, neste lado do Atlântico. Entre outros aspetos, veio lembrar-nos que a democracia é um combate sem fim, que nunca pode ser considerado como definitivamente ganho. Também nos mostrou que a existência de instituições sólidas permite defender a democracia, quando atacada por demagogos, oportunistas, charlatães, aspirantes a caudilhos ou meros arruaceiros. Mas, atenção, pois também vimos esta gente tentar servir-se das instituições para procurar consumar o assalto ao poder.

Opinião

Pôr o século XXI no caminho certo

A maioria dos leitores lembrar-se-á do grande entusiasmo com que recebemos o início do século XXI. Foi uma época de grandes esperanças, editoriais grandiloquentes e uma ousadia verdadeiramente sentida por parte do Ocidente. No entanto, num piscar de olhos (historicamente falando), o espírito da época mudou radicalmente, mesmo antes da pandemia de covid-19. Para grande parte do mundo, este século foi um período de frustração e desilusão. Muitos olham agora para o futuro não com confiança, mas com medo.