Dona Maria

Nuno Camarneiro

Ao contrário do poema de Daniel Faria que abre o livro homónimo Homens Que São como Lugares Mal Situados, existem homens e mulheres que são como lugares bem situados, autênticos cruzamentos ou praças que todos conhecem e onde se concentra o "espírito do lugar" ou, se preferirmos, o seu caráter.

Todas as aldeias, todos os bairros e até os prédios têm alguém assim. Sabem sempre o que se passa, conhecem toda a gente e vão gerindo os fluxos de informação, com mais ou menos maledicência. Estes homens e mulheres bem situados guardam as histórias tristes, os atos de heroísmo e as vergonhas alheias, mas só as contam a quem lhes apetece, muitas vezes a troco de um café ou um bagacinho.

Aqui no bairro é a Dona Maria, uma velhota irrequieta que vejo sempre a sorrir. Dela não sei quase nada, mas desconfio que sabe tudo sobre mim.