Premium Taxa de resposta do governo aos deputados abaixo dos 50%

Executivo deixou sem resposta mais de metade das perguntas feitas pelos parlamentares na última sessão legislativa. Curiosamente, o partido mais visado é o... PS.

Na última sessão da legislatura, o governo respondeu a apenas 48% das perguntas que lhe foram dirigidas pelos deputados das várias bancadas parlamentares. É a taxa de resposta mais baixa dos quatro anos que leva o executivo de António Costa: até agora, esse lugar cabia à primeira sessão legislativa (2015-2016), mas com uma percentagem de 55,4%.

Os números constam dos relatórios estatísticos elaborados pelos serviços da Assembleia da República sobre as quatro sessões desta legislatura. De acordo com o documento relativo ao período 2018-2019, os deputados dirigiram ao governo e à administração pública 2823 perguntas, das quais só 1366 foram respondidas até ao final da sessão, em julho. Ou seja, 52% ficaram sem resposta.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Maria Antónia de Almeida Santos

Uma opinião sustentável

De um ponto de vista global e a nível histórico, poucos conceitos têm sido tão úteis e operativos como o do desenvolvimento sustentável. Trouxe-nos a noção do sistémico, no sentido em que cimentou a ideia de que as ações, individuais ou em grupo, têm reflexo no conjunto de todos. Semeou também a consciência do "sustentável" como algo capaz de suprir as necessidades do presente sem comprometer o futuro do planeta. Na sequência, surgiu também o pressuposto de que a diversidade cultural é tão importante como a biodiversidade e, hoje, a pobreza no mundo, a inclusão, a demografia e a migração entram na ordem do dia da discussão mundial.