Premium Remendado em Moscovo, imperador no Médio Oriente

Os cidadãos russos vão ter mais um ano em que perdem qualidade de vida, mas o país, liderado por Putin, vai continuar a projetar o seu poder geopolítico e militar.

Pelo quinto ano consecutivo os russos vão perder poder de compra, mas o presidente anuncia a entrada ao serviço de um novo sistema de mísseis intercontinentais hipersónicos. Vladimir Putin nunca fala das suas filhas, mas o Kremlin defende abertamente um dos herdeiros de um líder mundial (no caso, Mohammed bin Salman da Arábia Saudita). É esta a Rússia na viragem para 2019.

No concerto das nações não se prevê que a Rússia melhore muito as suas relações com o Ocidente, apesar de Putin - ou exatamente por isso - querer reunir-se com Donald Trump. O capital de desconfiança da natureza da relação entre ambos acumula-se com o aprofundar da investigação do procurador especial Robert Mueller. Na questão ucraniana, não se antevê que a Crimeia vá ser restituída a Kiev, mas as eleições presidenciais de março na Ucrânia poderão trazer o degelo entre os dois países, caso Petro Poroshenko falhe a reeleição.

Ler mais

Exclusivos