Premium A extrema-direita na Europa: ir para além do medo

No Congresso Internacional do Medo, de Carlos Drummond de Andrade, já está muito dito: "Provisoriamente não cantaremos o amor, que se refugiou mais abaixo dos subterrâneos, cantaremos o medo, que esteriliza os abraços." O extremismo de direita está a tomar conta da União Europeia e a questão é de como evitá-lo.

Em parte, a extrema-direita foi alimentada pelo medo e pelas desigualdades, pela descrença na política e pelo eleitoralismo acrítico das principais forças políticas europeias, mas também nos países mais igualitários da Europa foi crescendo. Não sendo recente, como é que a extrema-direita organizada voltou a ressurgir no final do século passado e começou perigosamente a alastrar no inicio deste século? Em 1984, a Frente Nacional conseguia, em França, 11% dos votos e hoje disputa ser a primeira força política.

Ler mais

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG