Premium Há falsos veterinários a exercer no país. Ordem lança boletim para acabar com atividade ilícita

À Ordem dos Médicos Veterinários (OMV) chegam várias queixas de usurpação de funções protagonizadas por falsos veterinários. Para combater o problema, há um novo boletim oficial onde deverá constar o registo do histórico sanitário de cães e de gatos. Se tem um animal de companhia, tem até 2021 para aderir ao novo documento.

Um casal de sexagenários foi detido, em fevereiro, por suspeitas de burla, usurpação de funções e falsificação de documentos, crimes relacionados com a atividade que exerciam numa clínica veterinária clandestina em Tavira. Fazendo-se passar por médicos veterinários, o homem e a mulher usavam boletins de vacinação com carimbos e assinaturas falsificados. Uma entre muitas situações de usurpação de funções que têm sido detetadas em Portugal. "Não podemos dizer que o número de casos está a aumentar, mas há mais denúncias e mais sensibilização. As pessoas estão mais alertadas para este fenómeno", diz ao DN Jorge Cid, bastonário da Ordem dos Médicos Veterinários (OMV).

Para tentar combater a atividade ilícita, a OMV desenvolveu, em conjunto com a Direção-Geral de Alimentação e Veterinária (DGAV), um novo boletim sanitário para cães e gatos, no qual deverá constar o registo do histórico sanitário dos animais de companhia. "Só será disponibilizado aos médicos veterinários inscritos na Ordem, sendo que será feito o registo dos boletins atribuídos a cada médico. Além de ser mais difícil de falsificar por ter um holograma e o número de série, caso apareça um livro [suspeito] conseguimos saber o que se passou. Se foi roubado ou falsificado, por exemplo", explica o bastonário.

Ler mais

Exclusivos