Premium O Bayern em crise que o Benfica vai encontrar

Uma casa em ruínas: presidente, diretor executivo, treinador e jogadores não se entendem. Resultados na Bundesliga alarmam. O fim de uma era de uma das mais valiosas marcas futebolísticas do mundo. E o Benfica perfila-se como paliativo.

Jogadores que não se entendem e que infernizam a vida ao treinador, que aponta o dedo aos erros individuais. Adeptos que pedem a cabeça do presidente, do diretor executivo, do treinador e de praticamente todos os jogadores do plantel - salvam-se Sule, Kimmich e Neuer. O Bayern de Munique, a celebrar 50 anos do início da lenda "colosso de Munique", está em putrefação. E já bateu o pior registo caseiro na Bundesliga desde 1991-1992. Apesar de estar a um ponto dos oitavos-de-final da Liga dos Campeões - basta não perder com o Benfica na terça-feira. Em casa.

"Casa" que não é uma palavra fácil de enquadrar no contexto Bayern de Munique, neste momento. Os jogadores influentes (Ribéry, Robben, Hummels, Boateng...) queixam-se do treinador ao presidente Uli Hoeness. Este dá demasiada importância aos queixumes do plantel. Paralelamente, praticamente não reforçou o plantel (apenas chegou Goretzka e Gnabry regressou do empréstimo ao Hoffenheim) para evitar pôr pressão sobre Kovac. E começa a perder a paciência com os caprichos de jogadores cansados de ganhar.

Ler mais

Exclusivos